segunda-feira, 21 de julho de 2008

Bolo de Cenoura com Cobertura de Chocolate no Vale das Perdidas em Jaciara


Paisagem típica do Cerrado

Olá gente!!!
Título estranho hein? Mas eu explico :D
As pessoas que andam por aqui, já estão carecas de saber das minhas viagens há alguns dias.
E como disse, foram viagens pela faculdade, a de sábado, dia 12 de julho, foi pra Jaciara, o objetivo era darmos uma aula para alunos de uma escola estadual, da quinta série do ensino fundamental e do 1º ano do ensino médio, pela disciplina Prática de Ensino de Biologia, do 7º semestre.
Em Jaciara, além de muitas e muitas belezas naturais, existe um Sítio Arqueológico em abrigo sob rochas. Paredões exibem pinturas rupestres datadas pelo carbono 14 entre 3.620 e 4.610 anos, caracterizado como Zona pré-histórica. Um dos raros Sítios Arqueológicos onde encontramos representações humanas, animais e de rituais, que fica num local chamado Vale das Perdidas, na Fazenda Paulista. É um lugar muuuuito lindo, cheio da vegetação especifica do Cerrado Mato-grossense, um tipo de savana composto de árvores de casca grossa, retorcidas, folhas mais rústicas, espinhos; tudo isso para garantir que a planta não perca água durante as horas mais quentes do dia ou as épocas secas do ano, como agora. Também serve para proteger a plantas do fogo.


Típica flor do Cerrado

O Cerrado é um sistema muito interessante, no mesmo local é possível ver paisagens diferentes. Podemos passar por locais com apenas capim e arbustos baixos e retorcidos, o chamado campo sujo, como em seguida passar por florestas fechadas e frondosas, cortadas por rios ou pequenos riachos, chamadas mata de galeria.
E lá fomos nós! Uma colega de curso, uma amiiiiiiiiiiga desde o começo do curso que eu amo de paixão, eu, o maridão (pelo menos dessa vez ele foi comigo^^), o noivo da amiga que foi nosso guia, professores e alunos da escola.


Professores preparados para enfrentar a trilha

No sábado levamos apenas os professores, para que depois eles pudessem abordar o assunto tratado na visita ao Vale das Perdidas em sala de aula, que alias, tem esse nome por que vacas e bois dos criadores da região, antigamente, desciam ao vale e eram devorados por onças que ali moravam ou se perdiam mesmo e não conseguiam voltar, daí ficou o Vale das Vacas Perdidas e depois Vale das Perdidas.


Olha o começo da trilha. MEDO!!!

Quando se pega uma trilha de mais ou menos 1.500 metros mata adentro, chega-se a imensos paredões de arenito. E nesses paredões estão inscrições rupestres que datam de 4 mil anos!


O pessoal na trilha, o paredão ao fundo

Vocês não podem imaginar a sensação que é olhar coisas que estão ali encravadas por mão humanas há tanto tempo!


Uma das primeiras pinturas que se pode ver

O mais legal é cada um olhar e interpretar tentando entender o significado de cada uma delas. Essas pinturas retratam cenas do dia-a-dia e podem querer dizer qualquer coisa. Festa, caça, sistema de contagem, passagem do tempo, etc. Olhando para elas, pode-se pensar em todas essas possibilidades.


Quem sabe um sistema de contagem!

Essas pinturas estão lá até hoje, pois estão no paredão que fica protegido das agressões naturais, como vento, sol, chuva. Provavelmente foram pintadas com misturas de ingredientes como folhas, frutos, caules de plantas, sangue de animais que foram caçados, pedras e rochas moídas. Pelo arenito ser um tanto poroso, facilitou a entrada desses pigmentos na rocha e ali ficaram marcados até hoje.


Figuras que lembram animais

No domingo, dia 13 de julho, levamos os alunos, cerca de 10 crianças entre 8 e 13 anos. Eles adoraram a "farra"!


Alunos prontos para a aventura!

Ficaram empolgados na trilha, o difícil foi manter o silêncio enquanto andávamos no mato, pois estavam muito excitados. Quando se anda numa trilha, temos algumas regras a seguir: andar sempre em fila indiana, para evitar que se agrida muito a mata por onde se andar, não levar nada que se encontre na trilha e nem deixar nada lá do que se levou, fazer o máximo de silêncio possível para que se algum bicho estiver por ali possa ser observado, observar com cuidado onde se pisa para não pisar em algum animal, que por defesa pode atacar, além dos cuidados normais de quando se anda em um lugar a céu aberto, como usar chápeus, roupas claras de preferência de manga comprida, calça comprida e sapatos fechados e confortáveis (nada de estrear aquele fantástico tênis novo que você comprou, ele pode deixar seus pés cheios de bolhas!) além de filtro solar, repelente e muuuuuuuuuita água.
Dentre os professores, tínhamos de várias disciplinas, Português, Matemática, Geografia e História, inclusive a professora de História, é a mãe dessa amiga e já tinha dado uma aula sobre Pré-História para os alunos. Era lindo ver as carinhas de entendimento que eles faziam, por ver na prática tudo o que tinham visto apenas por fotos em sala de aula.
Depois voltamos novamente pela trilha, chegamos ao ponto de partida, fizemos um pequeno lanche e conversamos um pouco com os alunos. Todos muito felizes e satisfeitos por terem estado ali. Alguns mais tímidos só observavam, outros mais vorazes perguntavam tudo o que viam, que bicho é esse, que planta é essa, que flor é aquela, por que esse tronco é assim. Me senti A bióloga!


Lembrancinha do "Arraiá"

No sábado a noite, fomos a uma Festa Julina, a cidade toda reunida na praça. Acho tão legal isso em cidade pequena! Você encontra todo mundo e conhece todo mundo. Aqui nem sei o nome do meu vizinho :/
E lá,entre mil delicias como pipoca, vinho de pêssego, cachorro-quente, batata frita, churrasquinho, comi um deliciosooooooooooooo bolo de cenoura, que é a receita que trago pra vocês. Adoro esse bolo simples e fantástico! E há muuuuuuuuuito tempo não fazia (sim, depois que voltei de lá, fiz e comi de novo :P). Essa receita é a que usamos aqui em casa desde sempre.
Espero que você tenham gostado de conhecer essa experiência, que pra mim foi muito enriquecedora.
Kisss pra todo mundo^^



Bolo de Cenoura com Cobertura de Chocolate

*xícara de 240 ml

Ingredientes:

Massa:
4 cenouras médias
2 xícaras de açúcar
1 xícara de óleo
4 ovos
2 xícaras de farinha de trigo
1 colher (sopa) de fermento em pó

Cobertura:
2 colheres (sopa) de leite
2 colheres (sopa) de manteiga sem sal
5 colheres de açúcar
2 colheres (sopa) de chocolate em pó
50 gramas de chocolate granulado

Modo de fazer:
No copo do liquidificador, coloquei o óleo, os ovos e as cenouras picadas. Bati para se agregarem. Desliguei e reservei. Na vasilha da batedeira coloquei a farinha, o açúcar (ambos peneirados) e a mistura reservada. Bati. Desliguei e acrescentei o fermento. Mexi. Coloquei em uma assadeira redonda, untada e polvilhada. Levei ao forno pré-aquecido a 180º C, por 35 a 40 minutos.

Cobertura:
Em uma panela, coloquei o açúcar, o chocolate, a manteiga e o leite. Cozinhei por aproximadamente 5 minutos. Despejei sobre o bolo e polvilhei o chocolate granulado.

15 comentários:

Nana disse...

ai, me senti xisque no ultimoooo
hahahahahaha
tenho uma amiga biologa hehehe
amiga, vc tá dando aula de biologia no seu blog não tem preço.

Adoro bolo de cenoura hehehe
bjs

ameixa seca disse...

Uiii... viajei contigo eh eh
Fui ao meio do mato e voltei :)
Bolo de cenoura é o meu favorito...
Abraços ;)

Filipa disse...

Axly, adorei poder viajar com você nesse percurso tão bonito e enriquecedor. De facto existem sítios fantásticos.

E o bolo de cenoura, lindo!

beijinhos

BaTatinha disse...

eu fui também eu fui também!!! kkkkkkk
esse lugar é meuuuuuu!!! kkkkkkk
kisss friend!

Agdah disse...

Linda a aventura. Muito educativa e informativa. Agora, traduza aí por que eu falo baianês:

"...quinta série do ensino fundamental e do 1º ano do ensino médio..."?????

Nana disse...

amiga ficou lindo, ameiiii
bjs

Akemi disse...

Axly-chan, cozinha nova e muitas aventuras! Adorei ler sua experiência na "selva" e o bolo de cenoura, hummm meu preferido! Lindo e muito fofinho!!! Bjs

Rose disse...

Que experiência maravilhosa amiga, muito legal mesmo. Adoro essas viagens e de manter contato com pessoas simples do interior, elas sempre têm algo para nos ensinar, não é? E as fotos ficaram ótimas. Aposto que em meio as aulas vc se divertiu bastante... quanto ao bolo de cenoura, tá com uma cara ótima e por coincidência eu tava separando os ingredientes para fazer um, enquanto visitava os blogs dos amigos. Faço igual a esse, mas acrescento coco ralado na massa, um pacotinho de 50g, fica 10.
ufa, fiz uma carta, bjs.

Nani disse...

Olá minha linda,adorei a nova cara do blog, está supimpa.... como sempre estás imparável nas histórias que nos trazes, eu ponho-me a ler e parece que também estou a viajar..... a receitinha é uma delicia, fiz uma parecida mas juntei pepitas de chocolate, ficou show, bjs

Agdah disse...

Entendi agora. Obrigada.

Filipa disse...

Que bonita a cara nova da cozinha! Está linda!

Beijinhos

Cris disse...

Que trabalho bonito vocês fazem, parabéns! E o bolinho também. Adorei conhecer mais sobre o cerrado. Bjs!

Anônimo disse...

É um dos meus bolos preferidos!!

Bjs
Portugueses

Akemi disse...

Axly-chan, tem um convite a sua espera no Pecado, querida! Bjs

Anônimo disse...

muito legal tb gostei de conhecer esta historia e obrigada pela receita. bjs querida.